Ene Capítulos

Blog sem censura. Aqui há escrita, críticas, opiniões e tudo o resto. Fala-se de tudo sem tabus. Do facto mais erudito, ao evento mais banal. Podem comentar o que quiserem e da forma e linguagem que entenderem.

sábado, novembro 11, 2006

ACIDENTE EM SERVIÇO

Recentemente têm circulado pelos meios de comunicação social, imagens de uma suposta agressão por parte de dois polícias norte americanos a um comum cidadão. As televisões e pessoas de todo o mundo não hesitaram em acusar estes dois guardas de uma prática selvática para com um detido. Esta situação despoletou, inclusivamente, a abertura de um inquérito pelo FBI (Federação dos Burros Indigitados). No entanto, as aparências iludem. Ene Capítulos teve acesso ao relatório da investigação e pode adiantar que este caso não é o que parece. Segundo o relatório trata-se de um típico caso de acidente em serviço. Os factos são os seguintes:

• Os dois polícias encontravam-se a fazer a sua roda a pé;
• De repente ambos tropeçaram na mesma pedra que estava no passeio;
• Na queda atingiram um transeunte que estava a passear;
• Enquanto isso, as algemas do Guarda nº 1 saltaram do seu cinto e foram-se enfiar, caprichosamente, em ambos os pulsos do transeunte;
• Os três caíram no chão, com o transeunte a amparar a queda dos dois guardas;
• O Guarda nº 1 caiu sobre os joelhos do transeunte, ao passo que o Guarda nº 2 caiu com o seu joelho sobre a garganta do transeunte;
• A dada altura, o Guarda nº 2 começa a sentir cãibras e espasmo no braço, que o obrigam a esticar o membro repetidas vezes, numa situação que poderia ser confundida com o desferir de socos;
• O Guarda nº 1, preocupado com o bem-estar físico do transeunte, tentava desesperadamente desviar o braço deste para que o seu colega não o atingisse.

E foi isto que se passou! Os dois guardas já se encontram bem de saúde e a recuperar em suas casas, depois de terem recebido alta hospitalar. Ambos irão ver os seus processos apreciados por um junta médica independente, para fixação das indemnizações a receber por este acidente em serviço. O Guarda nº 1 pelo seu dói-dói no joelho e o Guarda nº 2 pela lesão ao nível do braço direito. O transeunte não teve tanta sorte e, além de se encontrar ainda em convalescença no hospital pelas suas lesões lombares e faciais, vai ainda ser processado pelo Guarda nº 2. A acusação que sobre ele pende é a da suspeita de fractura da mão direita do Guarda nº 2 pelo seu maxilar inferior.

2 comentários:

guruafundador disse...

é muito dificil ser pároco duma freguesia destas!

o que eu preconizava para solucionar estes problemas era os gajos andarem com um tinóni nos cornos para os transeuntes poderem desviar-se a tempo!!!!

Neves disse...

temos pena