Ene Capítulos

Blog sem censura. Aqui há escrita, críticas, opiniões e tudo o resto. Fala-se de tudo sem tabus. Do facto mais erudito, ao evento mais banal. Podem comentar o que quiserem e da forma e linguagem que entenderem.

quinta-feira, novembro 23, 2006

DOM PIU PIU

Impressionante! Quem diria que um dia isto iria acontecer? O Duarte Piu, o duque lá da Bragança, ou coisa parecida, pretendente ao trono português (impõe-se a pergunta: qual trono?), lançou ontem um livro com a sua biografia. Isto leva Ene Capítulos a tecer algumas considerações sobre o sucedido. Em primeiro lugar, sabemos que o lançamento não aleijou ninguém, ou seja, não houve danos colaterais. Os únicos danos previsíveis serão causados às pessoas que ousarem ler este livro. Em segundo, o que é que um homem que, basicamente, nada faz, pode ter de tão interessante para dizer ao mundo? Um relato da vida do pretendente a Rei de Portugal parece-me tão interessante (ou talvez menos), como a biografia do Tó Manel o Cauteleiro lá do bairro... Por acaso, até gostava de saber como é que o gajo fez, para casar já com idade superior à de um jovem agricultor e conseguir ter três filhos. Ainda por cima, quando correm rumores, pelos corredores dos castelos (que não brancos) nacionais, sobre a definição clara da sua sexualidade. A mim, ninguém me tira da cabeça que, no meio de três filhos, dois putos e uma... miúda, nenhum dar ares ao pai, é no mínimo um pouco estranho. Sim, porque se é aceitável uma menina não ter bigode, nos rapazes já não é bem assim... Gostaria ainda de mencionar o nome da obra, “D. Duarte e a Democracia”. Uma clara contradição, dado que em democracia, principalmente quando republicana e laica como o caso da portuguesa, não há Dons! Apenas cidadãos comuns que podem ocupar este ou aquele cargo, como o Presidente da República ou o Juiz Conselheiro ou o Bispo de não sei donde. Por último, sempre achei interessante o critério de lançamento das biografias. Se o conceito da biografia é fazer o relato sobre a vida de alguém, porque é que são escritas e lançadas quando esse alguém ainda está vivo??? Pensem nisso, incautos leitores...

Sem comentários: